BLOG

Acompanhe nossos conteúdos

Cidades inteligentes não são futurísticas: conheça 4 exemplos de sucesso para se inspirar

por | jun 23, 2021 | Notícias IDS

Imagine uma cidade onde tudo está conectado: os serviços são automatizados, a tecnologia move a infraestrutura urbana e a sustentabilidade é respeitada. 

Pensou em uma cidade futurística? Enganou-se. Isso está bem mais perto do que se imagina: são as chamadas cidades inteligentes, ou “Smart Cities”.

O conceito de cidades inteligentes está no próprio nome. São cidades quase que pensantes, “inteligentes”, onde a tecnologia auxilia e responde às necessidades dos cidadãos, como acesso facilitado à educação e saúde, e dos espaços coletivos.

Numa cidade inteligente, os eixos da economia, mobilidade, cidadãos, governança, meio ambiente e qualidade de vida andam juntos e são apoiados por meios tecnológicos.

O que se preza é que a cidade seja funcional e que reduza, inclusive, os gastos públicos.

Algumas cidades inteligentes podem ter ônibus elétricos, sistema tubular de coleta de lixo, ciclovias e aplicativos locais, pensados para integrar a população à sua localidade ou unificar os dados dos munícipes.

Há sistemas que ajudam a transformar esses cenários, como é o caso do IDS Cidadão.

Isso porque o IDS Cidadão unifica o cadastro dos munícipes. Ou seja: ao invés do gestor público solicitar ao cidadão “n” certidões e cadastros, ele solicita apenas um, que pode englobar as áreas sociais, da saúde, assistência, educação, esporte, entre outras secretarias que o município atende e presta serviços para a população. 

O resultado é uma diminuição da burocracia e otimização dos serviços e um passo grande para se tornar uma cidade inteligente. 

Quer saber mais sobre gestão pública nessa nova realidade? Listamos quatro cidades inteligentes para você se inspirar:

1. Cidade Inteligente Songdo (Coreia do Sul)

2. Cidade inteligente Copenhague (Dinamarca)

3. Cidade Inteligente de Curitiba (Brasil)

4. Cidade inteligente de Barcelona (Espanha)

1. Cidade Inteligente Songdo (Coreia do Sul)Cidade Inteligente Songdo (Coreia do Sul)

Uma das maiores referências mundiais em cidades inteligentes é a cidade de Songdo, na Coreia do Sul.

Em 2020, ela tinha cerca de 250 mil habitantes. Mas esta cidade foi toda planejada ao redor do aeroporto e pensada para que usufruísse da tecnologia a favor da sustentabilidade.

Por ter esse planejamento é que ela é chamada de uma aerotrópole, com o slogan: “A três horas e meia de um terço da população mundial”. 

Mais que isso, ela possui um sistema de coleta de lixo em que todos os resíduos jogados fora vão direto a centrais de lixo – sem necessidade de coleta.

Os edifícios da cidade inteligente também possuem uma tecnologia que permite um monitoramento ininterrupto do fornecimento de energia e alarmes de incêndio e os semáforos possuem auxílio de tecnologia para reprogramação automática caso haja intensidade de tráfego.

Ainda como toda cidade inteligente, Songdo utiliza sua localização geográfica a favor da mobilidade, usando canais, abastecidos com a água do mar, para o tráfego de táxis aquáticos. O que também mantém a umidade relativa do ar favorável, sem causar dolo a água potável.

2. Cidade inteligente Copenhague (Dinamarca)Cidade inteligente Copenhague (Dinamarca)

A Dinamarca é reconhecida como “verde”, por suas políticas sustentáveis. Só na capital existem cerca de 400 km de ciclovias.

O fato de ser “verde” e estar tão preocupada com a emissão dos poluentes, faz da capital dinamarquesa uma cidade inteligente com metas ambiciosas: até 2025 é previsto que seja neutralizada toda a emissão de carbono.

Além disso, a cidade possui aplicativos que auxiliam na experiência das pessoas na cidade: é possível selecionar vagas de estacionamento a partir do celular e até mesmo gerenciar o consumo de energia residencial.

3. Cidade Inteligente de Curitiba (Brasil)Cidade Inteligente de Curitiba (Brasil)

No Brasil, um dos grandes exemplos de cidade inteligente é a capital paranaense, Curitiba.

Ela não é a única, mas se destaca no ranking que analisa as cidades inteligentes do mundo, sobretudo por ser uma capital ecológica, já reconhecida no turismo por suas áreas verdes e parques.

Além disso, ela possui um programa eficiente de coleta seletiva, que incentiva a população e que tem dado bons resultados na reciclagem local – cerca de 70% dos resíduos são reciclados.

O município possui ainda toda a frota de ônibus, usada para transporte público, híbrido, funcionando à base de biocombustível e eletricidade, reduzindo as emissões de CO2.

4. Cidade inteligente de Barcelona (Espanha)Cidade inteligente de Barcelona (Espanha)

Barcelona é um exemplo se tratando de coleta de lixo. Por ter um sistema inteligente, a cada hora o lixo descartado é sugado por “aspiradores de lixo” subterrâneos.  

Isso é possível por um amplo sistema de tubulação, cinco metros abaixo da superfície, e que faz os sacos de lixo atingirem até 70 km/h até chegarem ao centro de coleta, destino final.

O impacto da medida foi a redução do uso de caminhões e da emissão de CO2. Uma estratégia pensada para uma cidade inteligente.  

Esses são apenas alguns exemplos. Ter os dados da própria cidade nas mãos facilita este processo. Independente do que se queira fazer, a resposta está na tecnologia.

Conclusão

Existe uma urgência em tornar cidades mais digitais, e como consequência, inteligentes. Isso é benéfico para o futuro do mundo, para os cidadãos e para a prefeitura que alcança melhores resultados.

Conheça mais benefícios de contar com a tecnologia na sua gestão pública no eBook:IDS ESTARÁ NO CONGRESSO DE PREFEITOS EM FLORIANÓPOLIS