BLOG

Acompanhe nossos conteúdos

Profissionais que mantêm cadastros atualizados impactam nos indicadores do Previne Brasil

por | abr 27, 2022 | IDS Saúde

Primeiramente, a mensuração de dados sobre a saúde do município feita por meio dos indicadores é importante em diversos aspectos.

 

Sobretudo para os profissionais da saúde, que são médicos e enfermeiros, inserir os cadastros de pacientes e manter tudo atualizado é necessário para comprovar quais atendimentos são feitos e em qual quantidade.

 

Em conclusão, o repasse financeiro vai ser muito pequeno se a quantidade de informações forem pequenas no sistema.

À primeira vista, para compreendermos como os recursos financeiros são transferidos ao município, vamos imaginar a seguinte situação:

 

Um posto de saúde de um município do Paraná atende, por exemplo, 1.000 pessoas no mês. 

No entanto, o médico registra no sistema somente 100 pessoas e, dessa forma, os demais pacientes atendidos não são contabilizados pelo governo.

 

A partir dessa realidade, esse médico é impactado de diversas formas:

 

  • O governo não irá repassar tantos recursos a APS porque o número de atendimentos é pequeno, visto o número pequeno de pacientes cadastrados. 
  • Não haverá tantos recursos para trazer mais profissionais para dentro da Atenção, visto o número pequeno de pacientes cadastrados. 
  • Esse médico muito provavelmente estará sobrecarregado de trabalho porque os subsídios financeiros serão baixos para a saúde pública deste município. 

 

Qual o papel das equipes para o cumprimento dos indicadores do Previne Brasil? 

 

Primeiramente, compreendemos como é importante uma gestão eficaz para o cumprimento de todos os indicadores.

 

Dessa maneira, é função da gestão e suas equipes trabalharem em conjunto para que o município cumpra com o desempenho esperado.

 

Embora, seja preciso sensibilizar profissionais da saúde sobre a importância de ajudarem na atualização de dados 

 

 

 

Dessa forma, os profissionais irão compreender que o trabalho deles na atualização de dados é essencial na obtenção dos indicadores de desempenho. 

 

Igualmente, confira mais atividades que os profissionais de saúde realizam e devem registrar informações no SISAB para ajudar a gestão a cumprir os indicadores:

 

 

Em suma, os profissionais precisam acompanhar proativamente o quantitativo de consultas de pré-natal por cada gestante. 
Sempre facilitar o acesso aos testes de gravidez (preferencialmente teste rápido) por meio de escuta inicial qualificada.
Simultaneamente, agendar consulta subsequente à anterior para as gestantes, com acompanhamento de possíveis faltas. 
Da mesma forma, manter a agenda aberta para a gestante, evitando reservas de dia/período que não permitam à gestante escolher o melhor dia/período para ela. 

 

 

Primeiramente, é preciso solicitar a primeira bateria de exames logo na primeira consulta de pré-natal. 
Sempre acionar o ACS para averiguar se os exames foram feitos e, caso não tenham, desenvolver estratégias para facilitar o acesso aos exames. 
Todas as vezes que a mulher não tiver sorologias recentes, solicitar os exames mesmo sem gestação confirmada. 
Da mesma forma, dar preferência aos testes rápidos. 
Em contrapartida, caso não tenha testes disponíveis, averiguar solicitação, marcação no laboratório e realização do exame de acordo com a realidade da APS. 
Desde que um fluxo de trabalho seja criado, é preciso manter um padrão de marcação de exames e acompanhamento de agenda da gestante. 

 

 

Imediatamente marcar consulta com a equipe de saúde bucal já no primeiro contato pré-natal da equipe de saúde da família (preferencialmente no momento de confirmação da gestação). 
Sempre que possível manter vaga aberta na agenda da equipe em quantidade proporcional ao total de gestantes acompanhadas. 
Do mesmo modo, criar um canal de comunicação direto entre as equipes, para verificar o encaminhamento e retorno.

 

 

Constantemente ter dados populacionais para mensuração da oferta necessária ao rastreamento adequado para toda a população feminina na faixa etária. 
Assim, ter controle individualizado e não por quantitativo total, evitando realizar o exame sempre para as mesmas mulheres e deixando outras de fora do programa. 
Igualmente, ter método de controle do seguimento das mulheres com exame alterado (sistema eletrônico ou registro de papel, ambos verificados periodicamente). 
Sempre ofertar esse exame a todas as mulheres na idade preconizada que frequentam a unidade, independentemente do motivo.

 

 

Acima de tudo realizar a captação das crianças logo após o nascimento, de preferência no teste do pezinho e/ou consulta puerperal, marcando a primeira consulta de puericultura para a primeira semana de vida.
Sempre orientar sobre a importância das vacinas já nas consultas de pré-natal e continuar ao longo das consultas de puericultura.
Do mesmo modo, manter acompanhamento dos faltosos (atraso no calendário vacinal) individualmente e fazer busca ativa.
Assim também, manter contato com creches para verificação do calendário vacinal, acompanhamento conjunto e diálogo colaborativo entre as partes.

 

 

Primeiramente, criar um fluxo para o monitoramento de pressão arterial (PA) dos usuários na USF para que pessoas com hipertensão arterial sistêmica (HAS) tenham o hábito de monitorar a sua PA.
Sobretudo o agendamento das consultas deve ser feito não só para o médico, mas também para o enfermeiro da equipe. Ambos podem acompanhar o indivíduo com essa condição (resguardadas as diferenças de atuação e observações de protocolos de atendimento).
Sempre orientar o cidadão sobre a importância das consultas de acompanhamento e a verificação da PA no serviço, mesmo que esta não esteja descompensada.
Além disso, flexibilizar a agenda sem realizar reserva de período para esse público, possibilitando a consulta no melhor horário para o cidadão. 

 

 

Primordialmente, o agendamento das consultas de acompanhamento deve ser feito não só para o médico, mas também para o enfermeiro da equipe. Ambos podem melhorar os indicadores de desempenho acompanhando o indivíduo com essa condição. 
Sempre orientar o cidadão com diabetes sobre a importância das consultas de acompanhamento, dos exames laboratoriais e de levar os resultados no retorno; 
Do mesmo modo, flexibilizar a agenda sem reservar período para esse público, possibilitando a consulta no melhor horário para o cidadão. 

 

Fonte de todos os indicadores e atividades, adaptado de: Documento Orientador do SISAB. 

 

Compreendemos até aqui a importância dos profissionais de saúde para manter as informações sobre dados do paciente sempre atualizados. 

 

Os indicadores só serão mensurados se uma gestão for eficiente e os profissionais ajudarem na linha de frente de preenchimento dos dados.

 

Cada indicador possui a gestão e suas equipes responsáveis sendo que é importante todos se sensibilizarem para ter bons resultados no Previne Brasil. 

 

Quer ter mais informações com dados oficiais do Programa Previne Brasil? 

 

Não deixe de acompanhar nossos materiais. 

 

Gostaria de conversar com o nosso time de profissionais? 

 

Cristiane Sopa, tem uma mensagem para você! 

 

“Sou Especialista na área de Saúde Pública.

Podemos te ajudar a entender como melhorar os Indicadores de Saúde.

Ficou com dúvidas sobre os assuntos abordados?

Entre em contato.”

 

Cristiane Sopa.

Entre em contato conosco. 

Estamos prontos para te atender! 

 

Gostou do conteúdo?

 

Siga a IDS nas redes, para ficar sempre bem informado:

 

Facebook

Instagram

Linkedin

 

E não deixe de compartilhar nosso conteúdo!